Os Maiores Mitos sobre as Eleições

Afinal, votos nulos podem cancelar uma eleição?  O Voto dado em branco vai realmente para quem está ganhando? Para esclarecer rumores que normalmente circulam na temporada eleitoral, o site outonos elaborou este artigo, para desvendar os maiores mitos que envolvem o tema Eleições. Se este assunto é do seu interesse, continue a leitura e tire todas as suas dúvidas sobre as maiores mentiras que circulam na internet em tempos eleitorais.

mitos sobre a eleição

Vejas as “mentiras” mais contatas nas eleições:

Mentira 1 – Se mais de 50% dos votos forem anulados, a eleição é anulada.

FALSO

Considerando que apenas os votos válidos são aceitos na contagem final, se a maior parte dos eleitores votar nulo, todos esses votos serão descartados e o candidato com o maior número de votos válidos será o vencedor.

Mesmo se mais de 50% dos eleitores anularem o voto, a eleição não será cancelada por este motivo. A divergência ocorre devido a uma interpretação errada do art. 224 do Código Eleitoral. A “nulidade” alegada a que se refere a legislação é sobre os votos nulos por decisão da justiça devido à prática de abuso de poder político, por exemplo.

Art. 224. Se a nulidade atingir mais da metade dos votos do país nas eleições presidenciais, estaduais, federais e estaduais ou nas eleições municipais, os votos restantes serão considerados prejudicados e a Corte marcará um dia para uma nova eleição. eleição em vinte (20) a quarenta (40) dias. ”

Mentira # 2 – voto em branco vai para quem está ganhando

FALSO

As eleições gerais de 1998 foram marcadas por uma mudança fundamental no total de votos em branco. Conforme a Constituição de 1988, só foi realmente regulamentada com a edição da Lei de Eleições (Lei 9.504 / 97), a emenda invalidou os votos em branco, igualando-os a nulos. Desde então, os votos brancos também foram descartados na contagem dos candidatos eleitos.

Mentira # 3 – Nas eleições para vereador e deputado, quem tem mais votos é sempre eleito

FALSO

As pessoas geralmente não conseguem compreender por que um candidato bem votado não consegue um lugar no Legislativo, enquanto outro com menos votos conseguem a vaga. Isso porque, nas eleições proporcionais (para deputado federal, deputado estadual e vereador), as vagas são de acordo com o voto recebido por cada partido ou coligação. Desta forma, além de obter votos para si, o candidato também depende dos votos do partido ou de sua coalizão.

Situação bem diferente das eleições majoritárias (prefeito, governador, senador e presidente), onde o candidato mais votado, no caso proporcional, não depende do cálculo de quocientes eleitorais e partidários. O quociente eleitoral é o resultado da divisão do número de votos válidos (desconsiderados o nulo e sem efeito) pelo número total de assentos disponíveis. Para o cálculo do quociente da parte, o número de votos obtidos por um partido ou coligação é dividido pelo quociente eleitoral, atingindo o número de lugares a que cada um tem direito.

Mentira # 4 – Quem não votou na última eleição não pode votar na próxima

FALSO

As pessoas pensam que, se não votarem numa eleição, serão impedidas de votar na próxima eleição. Entretanto, isso é um mito. Para que o título de eleitor seja efetivamente cancelado, o eleitor não deve ter votado nem justificado sua ausência por três turnos consecutivos, para somente aí ocorrer o cancelamento do seu documento eleitoral.

Ainda que o eleitor não tenha votado em um dos turnos, ele deve e pode votar no seguinte. Certifique-se de votar. Verifique sua situação eleitoral e mantenha sempre o seu título atualizado. Para verificar a sua situação eleitoral e saber se você está em dia com a justiça eleitoral, veja como fazer a consulta de sua situação eleitoral.

Expedindo uma Certidão de quitação eleitoral, você poderá ter a certeza que está regular junto ao Tribunal eleitoral, podendo exercer livremente o seu direito de cidadania.

Mentira # 5 – Após a eleição é possível saber a quem o eleitor votou

FALSO

Os eleitores frequentemente se perguntam sobre o sigilo do voto. Seria possível descobrir em quais candidatos ele votou? A resposta é simples: não. A urna eletrônica usa criptografia e não está conectada à internet. Ademais, apenas registra a indicação de que o eleitor já votou, não existindo meios de ligar o voto ao nome da pessoa que votou. Com a confusão interna de dados e outros sistemas de segurança, não há nenhuma possibilidade de verificar quais candidatos o eleitor votou. Por esse motivo o mesmo poderá ter certeza absoluta sobre a confidencialidade do equipamento.

Esta entrada foi publicada em Dicas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.